Jnet News o Blog da verdade.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Justiça para Vítor Suarez já!

ASSINE A PETIÇÃO CLICANDO AQUI, PARA QUE O BEM VENÇA!
http://www.avaaz.org/po/petition/Justica_para_Vitor_suarez_ja/?cibdabb

FAÇA SUA PARTE.
SEJA VOCÊ O BRASIL MELHOR!
COMPARTILHE E JUNTE-SE A CAUSA!

SÓ OLHAR E SE COMOVER NÃO VAI AJUDA-LO!

http://www.avaaz.org/po/petition/Justica_para_Vitor_suarez_ja/?cibdabb


Por que isto é importante


Meu nome é Vítor Suarez Cunha, tenho 22 anos, e sou estudante de desenho industrial. Em fevereiro deste ano fui espancado quase até a morte, na Ilha do Governador (RJ), quando tentei proteger um morador de rua que estava sendo agredido a chutes por cinco jovens. Sofri 20 fraturas no crânio, coloquei 63 parafusos, oito placas e duas telas de titânio na cabeça, além de ter tido que fazer um enxerto ósseo, tive um braço quebrado.

Há alguns dias os cinco jovens acusados de me espancar conseguiram liberdade. Um deles teve a prisão preventiva revogada, e os outros quatro tiveram a segregação cautelar convertida em medidas alternativas, como a proibição de terem qualquer aproximação física comigo e meus parentes. Com a decisão, eles não serão submetidos a júri popular. Por que, mesmo com vídeos, provas, fotos, e meu corpo sendo a maior prova de todo esse processo, os caras que quase me mataram estão livres? Fico pensando nos casos que não tiveram a sorte de ter repercussão que meu caso teve, pra onde eles vão? Que justiça é essa?

Só pra deixar claro, não tô aqui só pra dizer o que eu sinto, estou aqui pra dizer que até o fim farei de tudo pra que toda essa impunidade acabe de uma vez por todas. E espero que você possa me ajudar assinando essa petição.

Um abraço, Vitor Suarez.

@Euvitorsuarez #justicavitorsuarez

 OS BANDIDOS



A decisão do juiz Murilo Kieling que colocou em liberdade os cinco jovens acusados de espancar Vítor Suarez, na Praia da Bica, no início do ano, determinando que eles não serão levados a júri popular, causou indignação da vítima, familiares e amigos. O juiz revogou a prisão preventiva do acusado Rafael Zanini e para os outros quatro (Tadeu, Willian, Fellipe e Edson Luis), a prisão preventiva foi convertida em medidas alternativas. Para Kieling, os acusados não tiveram intenção de matar. Vítor, que foi agredido ao tentar defender um morador de rua atacado pelo grupo, lançou nesta semana a hashtag #justicavitorsuarez no Twitter para pedir justiça.

QUEM DEFENDE OS BANDIDOS?



A Força Aérea Brasileira (FAB) expulsou nesta sexta-feira (10/02) o soldado Yuri Monteiro Ribeiro de sua corporação. O ex-militar utilizou de uma rede social na internet e solidarizou com os suspeitos do espancamento do estudante Vítor Suarez Cunha, 21 anos, agredido quando defendia um mendigo na Ilha do Governador. Segundo a FAB Yuri cometeu prática de ato contra a moral pública e falta grave. Ele foi enquadrado na Lei de Serviço Militar.

Yuri usou uma rede social da internet para manifestar solidariedade a dois colegas presos pelas agressões. Ele pedia liberdade para Tadeu Assad e dizia esperar que ninguém encontrasse Rafael Zanini, que se entregou na última segunda-feira (6). Os cinco suspeitos já estão presos.

O militar, que é lotado na Brigada de Infantaria do Galeão, chega a dizer que, “se Justiça valesse de alguma coisa, ele já estaria na prisão há muito tempo”. Yuri dizia que, “se estivesse na briga, ele não estaria vivo”, em uma referência ao estudante agredido, Vítor Suarez Cunha, de 21 anos.